Cenário político e voz profética da igreja

12:08

Diante do [nem tão] atual cenário político e do crescente contraste de ideias no Brasil, muitos líderes cristãos, às vezes sinceros, têm dispendido energia denunciando a corrupção, a imoralidade, a violência e outros problemas nos quais o país está encharcado. Contudo, tais denúncias são, na melhor das hipóteses, ingênuas e, em todas as hipóteses, completamente inócuas.

A igreja não deve apenas denunciar a "corrupção" ou golpear ao vento termos abstratos sem as suas representações concretizadas em (I) pessoas, (II) estruturas de pensamento ou (III) filosofias políticas antagônicas ao cristianismo. O apóstolo João, em seus escritos, não disse para ficarmos bravinhos com o "erro" ou com a "mentira", mas denunciou ESPECIFICAMENTE o gnosticismo como estrutura de pensamento falsa e, mediante confrontação doutrinária com o cristianismo, o atacou e subjugou abertamente. 

Condenar predicados reduzidos a ojerizas universais é uma atitude imoral, condenscendente e empática ao paganismo. Outras religiões, filosofias e cosmovisões também afirmam detestar o erro, a mentira e a corrupção! Mas o erro, a mentira e a corrupção não têm o mesmo significado para o cristianismo e para outras visões de mundo. Denunciar essas coisas sem atacá-las nominalmente é assumir comunhão com a proposta de uma "religião universal" que se baseia em slogans de alta adesão mas não possui a verdade salvadora.

Quando os líderes entenderão que a verdadeira relevância da igreja cristã solidifica-se justamente em sua parcialidade, em sua reivindicação de exclusividade, em sua voz profética "politicamente incorreta" e em sua RENÚNCIA a diluições doutrinais em troca da "paz" e da aceitação?

Pertencer à igreja é comprar o ticket para o ostracismo, para o vitupério e para o ódio do mundo. Pertencer à igreja é ser decapitado por declarar a verdade, como foi João Batista.

Você não gosta disso? Prefere ser bem visto e bem aceito? Prefere receber afagos por seu discurso? Prefere a "paz mundial"?

Tenho uma ideia: largue o cristianismo e, com todo o respeito, vire budista ou algo assim. O cristianismo não é para você.


Posts Relacionados

0 comentários

Curta no Facebook

Receba artigos em seu email