Natureza humana: O homem é dicotomia ou tricotomia?

18:28

Uma questão bastante pertinente na teologia, ou, stricto sensu, na antropologia teológica, é a da constituição natural do homem. A formação da natureza humana é, assim, discutida a partir das Escrituras, e procura-se estabelecer, em termos de substância, qual ou quais são as categorias de elementos passíveis de serem identificados no antropos.

Neste ponto, costuma haver uma divisão de pensamentos dentro da tradição cristã. Por um lado, há aqueles que defendem, a partir da Bíblia, uma visão dicotômica do homem (dicotomia: "cortado em dois") postulando que o homem é um ser constituído de um elemento material e de um elemento imaterial. Por outro, há aqueles que afirmam uma visão tricotômica do homem (tricotomia: "cortado em três") pensando ser esta a perspectiva mais correta à luz da Escritura. O propósito deste artigo é elaborar uma breve defesa da dicotomia como a visão antropológica verdadeira e, ao mesmo tempo, refutar a tricotomia como uma perspectiva pagã acerca do homem.

Para começar, pode-se dizer que a aparente dificuldade em se fixar um consenso sobre o tema deve-se ao fato de a Escritura empregar diferentes termos para designar uma parte imaterial no homem. A Bíblia fala tanto em "alma" quanto em "espírito" e seus respectivos termos originais no hebraico e no grego, e a presença de mais de uma palavra apontando para o aspecto imaterial no ser humano torna-se, então, o epicentro desta problemática. O argumento tricotomista, resumido, é o de que, uma vez que a Bíblia utiliza palavras diferentes para se referir ao aspecto imaterial na constituição da natureza humana, então esta mesma faceta imaterial deve ser composta, ou seja, o homem deve ter uma alma e um espírito, além do corpo. A conclusão é que o homem deve ser um ente tripartido ou tricotômico.

No entanto, apesar de a Bíblia empregar palavras distintas para se referir ao imaterial na natureza humana, ela o faz usando os termos "alma" e "espírito" um pelo outro em permuta recíproca [1]. E isto é deveras evidente na Escritura. Basta olharmos, por exemplo, para Gênesis 35.18, que diz: "E aconteceu que, saindo-se-lhe a alma (porque morreu), chamou-lhe Benoni; mas seu pai chamou-lhe Benjamim", e Atos 7.59: "E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito". O primeiro verso diz que quando o homem morre, sua alma sai de seu corpo, e o outro diz que é o espírito que se esvai do corpo humano no momento da morte. Mas qual dos dois elementos realmente sai do corpo no momento da morte, a alma ou o espírito? Simples, não existem dois elementos, mas somente um. Este único elemento imaterial presente na natureza humana é, às vezes, chamado de "alma" e, às vezes, de "espírito", na Palavra de Deus. São termos diferentes para designar exatamente o mesmo elemento! E, evidentemente, isto nos é mostrado na totalidade da Escritura. Compare 1Rs 17.21 com o Salmo 31.5, por exemplo; contraste Ec 12.7 com 1Co 5.3, 5, como outro exemplo. 

Enfim, as referências são inúmeras, mas meu propósito não é ser exaustivo. Todas estas referências mostram que a Bíblia não distingue entre alma e espírito como duas substâncias distintas.

Em adição, ao observarmos o relato da criação do homem em Gênesis 1-2, de maneira alguma podemos constatar, nem mesmo remotamente, a existência de uma tricotomia no antropos. A Bíblia é muito clara: Deus fez o homem e soprou-lhe nas narinas o fôlego de vida, de modo que, a partir desta ação, o homem passa a viver. Só há dois elementos aqui: o material e o imaterial.

E, finalmente, há o argumento de que caso a existência de palavras distintas para mostrar o aspecto imaterial no homem deva ser critério para o estabelecimento de uma tricotomia, então por que o mesmo critério não é aplicado em relação ao corpo humano para postular a ideia de que o homem, na verdade, possui diversos elementos materiais? Afinal, a Bíblia utiliza diversas palavras para se referir ao material no homem: a Bíblia fala em "corpo" (Mt 6.22), em "vaso" (2Co 4.7) e em "templo" (1Co 6.19). Ora, se diferentes palavras significam sempre substâncias diferentes, então por que não adotarmos o ensino de que o homem não possui apenas um corpo, mas também um vaso e um templo? Esta ideia, como podemos ver, apesar de ridícula, expõe precisamente o argumento hermenêutico dos tricotomistas. Mas sabemos que o homem não possui diversos elementos materiais da mesma maneira que não possui diversos elementos imateriais. O homem não é corpo, alma e espírito; ele é material (sendo o material designado por diferentes palavras, conforme a circunstância e a ênfase que se quer dar) e imaterial (sendo o imaterial tratado do mesmíssimo modo que o material, ou seja, pelo emprego de palavras distintas conforme o ângulo que o autor sacro, sob o sopro divino, intentou expôr).

Mas de onde, então, advém a doutrina da tricotomia? Certamente a tricotomia não vem da Escritura, como tenho mostrado. Com efeito, este ensino é oriundo da filosofia grega.

Rudimentarmente, a metafísica de Platão consiste em um dualismo rígido entre as ideias (ou o mundo espiritual) e suas projeções físicas (ou o mundo material), sendo a esfera imaterial, além de arquétipo do mundo físico, uma esfera pura, perfeita, etérea e incontaminável com a impureza do material. Destarte, a metafísica platônica, para os efeitos deste artigo, pode ser resumida no dualismo entre ideias e a imperfeição do que é material. A metafísica de Platão, por sua vez, foi mais elaborada anos mais tarde gerando o que chamamos de neoplatonismo. Este sistema, emprestando sem restrições a metafísica platônica, elaborou uma complexa doutrina na qual o mundo material não poderia ter sido criado diretamente pelo imaterial, pois o contato direto entre ambas as esferas implicaria na impureza da perfeição do mundo espiritual ou em sua contaminação. Assim, para sanar o problema metafísico, o neoplatonismo criou uma série de intermediários entre o espiritual perfeito e o material imperfeito.

Fatalmente, a ideia subjacente e germinal da antropologia tricotômica é, com efeito, a doutrina filosófica grega que afirma a necessidade de um "intermediário" entre o perfeito (que, no caso da antropologia tricotômica, seria o espírito) e o imperfeito (que, no caso, seria o corpo), servindo a alma como elo entre os dois elementos. Sim, a doutrina da tricotomia não vem da Bíblia, mas da filosofia pagã. Não é a toa que a maioria daqueles que defendem uma natureza tricotômica no homem também asseveram que o espírito tem de ser a parte do homem que se comunica com Deus (perceba: o espírito é o aspecto mais elevado, bem ao gosto do platonismo, e que, logo, pode se comunicar com Deus, que é o "perfeito", "espiritual" e "puro") e que o espírito é que é, na verdade, o próprio homem. Via de regra os tricotomistas afirmam que o homem sempre foi um espírito, que ganhou um corpo posteriormente. Isso é platonismo puro e, em qualquer análise crua, paganismo escancarado! A Escritura nunca apresenta o homem como sendo um espírito que ganhou um corpo tendo uma alma como intermediária, mas descortina o ser humano como um ente completo que, mesmo dicotômico, é uno, é uma unidade.

Concluindo, a doutrina da tricotomia na antropologia bíblica é completamente estranha às Escrituras e, quando adotada, traz implicações nefastas para a cristologia e, consequentemente, para a soteriologia, além de desfigurar a própria antropologia segundo a Bíblia nô-la apresenta. É claro que uma vez que se adota como pressuposto hermenêutico qualquer sistema filosófico pagão, torna-se "possível" uma leitura da Bíblia que se ajuste ao sistema previamente adotado. Isso também acontece, por exemplo, com a teologia da missão integral, que pressupõe em sua construção a filosofia marxista. Entretanto, no que se refere ao homem, a mentalidade judaica tradicional nunca reconheceu três elementos em sua constituição, mas somente dois, um material e um imaterial e, mesmo assim, ambos formando uma unidade tão hermeticamente impenetrável que se torna virtualmente impossível qualquer intento de compartimentação da natureza do homem.

Claramente, a Escritura apenas reconhece dois elementos na constituição natural do ser humano: um elemento material (o "corpo" ou outros designativos) e um elemento imaterial (a "alma" ou "espírito" ou ainda outros designativos), sendo a dicotomia, portanto, a correta doutrina antropológica a ser adotada e defendida por qualquer um que tenha a Escritura como regra de fé.



Notas
1. BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática. 3.ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2009. p. 179.

Posts Relacionados

34 comentários

  1. Boa Tarde professor Ribeiro !!!
    1Ts 5.23; Hb 4.12 , como seria explicado tais textos em uma cosmovisão antropológica dicotômica ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Vitor! O texto de 1Ts 5.23 utiliza os termos "corpo", "alma" e "espírito" em uma ferramenta retórica chamada "epizeuxe", que nada mais é do que o uso de palavras sinônimas para acrescentar ênfase e lirismo ao que se pretende dizer. A epizeuxe ocorre também em Mt 22.37 (dê uma olhada lá). Se formos considerar "alma" e "espírito" de 1Ts 5.23 como substâncias diferentes só porque estão no mesmo versículo, então teríamos que considerar "coração", "alma" e "pensamento" de Mt 22.37 também como substâncias diferentes, mas sabemos que não é o caso - o escritor sacro apenas empregou a epizeuxe. Já o verso de Hb 4.12 utiliza uma espécie de metáfora para dizer simplesmente que a Palavra de Deus penetra até nos locais normalmente impenetráveis, como, por exemplo, a divisão entre "juntas" e "medulas". A ênfase do sentido do texto não está em fornecer uma explicação sobre os aspectos imateriais da natureza humana, mas somente em exaltar o poder instrumental da Palavra de Deus para conversão e santificação dos eleitos. Contudo, Vitor, só para finalizar, saiba que este é um assunto tangencial, menos importante em uma escala de importâncias. Eu creio (e a maior parte da igreja ao longo dos séculos) que a Bíblia defende uma antropologia dicotômica, mas se você não quiser aderir a esta interpretação, não há problemas, desde que você nunca afirme uma escala de pureza nos elementos "corpo", "alma" e "espírito", pois isto seria gnosticismo. Um abração cara!

      Excluir
  2. Muito bem esclarecido,muito obrigado!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Paulo. No monte da transfiguração onde aparece Moisés. Quem levantou? O corpo e a alma de Moisés?Ele ressuscitou? Ele estava dormindo?(corpo e alma)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá "V@lério Explorer". Eu dificilmente respondo a comentários anônimos ou a pseudônimos, mas, diante do fato de que os santos só receberão corpos novos (e incorruptíveis) na ressurreição, é quase certo que tenham sido os espíritos/almas de Moisés e EliasElias que foram vistos na ocasião. É claro que o espírito de uma pessoa é invisível em circunstâncias normais, contudo, aquela não foi uma circunstância normal. Aprouve a Deus se revelar aos discípulos naquele monte por meio do Cristo transformado e por meio da teofania (voz do Pai testificando do filho).

      Excluir
  4. E muito interessante esse assunto.Qua se fala em bipartes e tripartida. Devemos usar a formação do homem como aa base principal. O que me chama a atenção e que o homem na sua existência precisou de um componente terreno o pó e já era considerado homem no texto bíblico.ao usar uma parte de Deus que é espiritual o homem passou a ser uma alma vivente. ANALISEMOS agora o homem tem um corpo tem um espírito e e uma alma vivente. A junção do corpo com o Espírito infundidos um ao outro gera a condição de alma vivente. Deus não soprou alma para dentro do homem. Ele soprou o Espírito. Portanto corpo e Espírito São uma alma e não tem uma alma. O homem passou a ser e nao ter uma alma. Alma so existe quando a um corpo e um espirito estao ligados. Para lembrarmos de alguns refutes e bom lembrar que existem corpos terreno e celestiais. Ate mais amados.

    ResponderExcluir
  5. iniciando...
    PREZADO, SE A PALAVRA ESTÁ REVELADA AO APÓSTOLO PAULO EM 1TESS 5:23 'Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Yahuhshua há Mashiyah.' Então, somos um ser 'Tricotômico'. Paulo fala da santificação por completa, inteiramente. O nosso corpo, a alma(mente-vontade e emoção) e o nosso espírito(consciência-comunhão e intuição), sejam plenamente salvos no dia de Sua vinda. O nosso espírito, já foi regenerado quando nós O aceitamos pela fé, nascemos de novo como filhos de Elohim/Deus; a nossa alma, temos que negá-la completamente para que seja salva e o nosso corpo, na vinda do nosso Salvador, onde será de todo transformado.
    – “TODOS” OS ASPECTOS DE NOSSA VIDA DEVEM SER SANTIFICADOS:
    “Vos santifique em tudo”
    Devemos ser santos em todos os aspectos de nossas vidas!
    O que é Santificação?
    Fazemos separação entre ser santidade e santificação (na língua portuguesa não há diferença, porém, para os que estudam a Escritura há de fato uma diferença)
    Santo: É uma posição! É algo que Elohim nos entregou no momento em que O recebemos como nosso Salvador. Haja vista que apesar de todos os erros cometidos pela igreja de Corinto, o apóstolo Paulo os chama de Santos. Então a qualidade de santo vem de Elohim. É uma monergia. Sermos santos somente para Ele. Um trabalho exclusivamente de Elohim que é a fonte de todo o MONERGISMO DO SEU ESPÍRITO.
    Santificação: É um processo diário que se inicia quando recebemos Yahuhshua como Salvador e que só termina em Sua aceitação ao encontrarmos em plena ressurreição e depois, dos que estiverem vivos serão de todo transformados. Então na santificação há uma entrega. Nos renunciamos ao pecado e colaboramos. Neste aspecto, na Santificação somos cooperadores de Elohim/Deus.
    -Como podemos fazer parte desse processo?
    a) Quando não nos conformamos com este mundo: Romanos 12:2
    – conformar quer dizer tomar a forma.
    b) Há uma ordem para entrarmos no processo da santificação:
    Levítico 20:7; 1ª Pedro 1:15.
    A SANTIDADE É PRA SER VIVIDA EM TODOS OS ASPECTOS DE NOSSA VIDA!
    I– SANTIFICADOS NO CORPO: continua...

    ResponderExcluir
  6. Continuação...
    1) Nosso corpo foi dado por Elohim para que por meio dele possamos glorifica-lo. 2ª Coríntios 5:10
    2) Devemos adorar a Elohim com o nosso corpo. 1ª Coríntios 6:19 “Templo” há Ruach/do Espírito.
    3) Não podemos dispor nosso corpo da maneira que queremos, pois ele pertence a Yahuh. 1ª Coríntios 3:16,17
    4) Tatuagens e autoflagelação... nem pensar!!! Levítico 19:28
    5) Devemos guardar nosso corpo dos males desse mundo: pornografia, sexo fora do casamento, lascívia, vícios, marcas no corpo, etc. 1ª Coríntios 9:27
    NOSSO CORPO DEVE SER SANTO
    II –SANTIFICADOS NA ALMA:
    Santificar nossa alma, portanto, tem duas vertentes: a) Nossas emoções: Que tipo de sentimentos devemos nos reguardar para sermos santos?
    a.1) Sentimentos maus como a amargura: Hebreus 12:15 – Nosso coração deve estar limpos, caso contrário seremos privados da Graça de Elohim. Devemos também preservar nosso coração de relacionamentos (sejam amorosos ou fraternais) que nos prejudiquem. Devemos ser como “Jardins fechados”. Cantares 4:12
    b) Nos pensamentos: Os pensamentos são o que determinam nossas atitudes e hábitos. Como governamos nossos pensamentos?
    b.1) Devemos encher nossa mente com coisas que edificam. Filipenses 4:8; Colossences 3:1,2
    NOSSA ALMA DEVE SER SANTA
    III – SANTIFICADOS NO ESPÍRITO
    Foi o espírito humano que Elohim Soprou nas narinas de Adão.
    Portanto, é o fator que nos liga a Ele. Gênesis 2.7
    O espírito é a parte imaterial do homem para contatar com Elohim. É o “lugar” onde adoramos a Elohim. João 4:22,23
    3) Nesta parte imaterial deve existir santidade, isto é separação. Elohim não quer que dividamos o nosso serviço racional que é devido só a Ele. Isaías 42:8 4) Elohim quer exclusividade!!!
    CONCLUSÃO: continua...

    ResponderExcluir
  7. continuação
    Qual o objetivo da Santificação?
    1) Santificar-se é estar sendo medido, separado. Somos medidos. Eu valho a medida exata do meu caráter. 2) A santificação tem um objetivo muito mais excelente: A vinda do nosso grande Elohim e Salvador Yahuhshua há Mashiyah e nossa consequente reunião com Ele. Tito 2:13
    2) Sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de Yahuhshua há Mashiyah.
    3) Temos que viver nossos dias com um pensamento em mente: Mente posta no espírito.
    4) O Yahuh voltará a qualquer momento e para que eu tem há acesso à Sua presença, preciso estar em santidade. Filipenses 4:5
    -Somos seres 'Tricotômicos'.
    TRICOTOMIA NÃO TEM NADA A VER COM TRINDADE
    *Não adoro ‘trindade’. Adoro ao único Elohim.
    Os Judeus crêem que Elohim é Um e Indivisível. Os judeus não acreditam na Trindade e nem eu.
    Os Judeus crêem que Elohim é Um e Indivisível 1/1=1. E eu também creio.
    Os judeus não acreditam na Trindade e nem eu. Sou Monoteista.
    EM RESUMO… A idéia que eu tenho do Eterno Criador, Elohim é que Ele é Um e indivisível. Não podemos dividir Elohim em peças separadas (ou em diferentes pessoas), onde cada peça há Elohim/de Deus é diferente e ao mesmo tempo é a mesma. As Escrituras hebraicas descrevem o Criador como absoluto, mas no novo testamento comumente editado, a idéia de Deus é descrita como um ser dividido em três partes chamadas de “Trindade". COISAS DO TRATADO DE NICÉIA, QUE É NADA MAIS, NADA MENOS QUE INVENCIONISMO RELIGIOSO. O ÁTOMO É INDIVISÍVEL, E TEM UM CRIADOR POR DETRÁS DE TUDO, SOB O SEU CONTRÔLE. As Escrituras hebraicas relatam que Elohim/Deus é Um, conforme lemos em Deuteronômio 6:4, assim como em Isaías 44:6, onde Elohim nos diz: “Eu sou primeiro e Eu sou o último; e além de Mim, não há outro.” Quando Isaías nos diz que Elohim falava “Sou o primeiro”, significa que Elohim não tem nenhum pai. Quando Isaías nos diz que Elohim falava “Sou o último”, significa que Elohim não tem nenhum filho literal. Quando Isaías nos diz que Elohim falava “além de Mim, não há outro Elohim”, significa que Elohim não compartilha sua glória com nenhum outra divindade, ou semi-deus, ou outras pessoas; e não há Trindade.
    UMA EXPLICAÇÃO COMPLETA … O fato de haver várias manifestações de Elohim nas Escrituras não significa que, para Elohim, cada manifestação está separada e é diferente uma da outra. No entanto, cada manifestação de Elohim resumidamente deve ser tratada diferentemente. As Escrituras hebraicas nos dizem que Elohim é Um.
    “Escuta, ó Israel Yahuh nosso Criador, Yahuh é Um”. [Deuteronômio 6:4] continua...
    Continuação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc só sabe falar que Elohim é um. Isso se trata de heresias judaizantes. Cristo é o mediador entre os homens e Deus. Cuidado no que diz.

      Excluir
  8. Shema Yisrael, Yahuh/Adonai Elohênu, Yahuh/Adonai Echad.
    שְׁמַע יִשְׂרָאֵל
    יָהוּה אֱלֹהֵינוּ יָהוּה אֶחָד׃
    Escuta, Israel, o Yahuh, nosso Eterno, é o único Yahuh.
    Foi onde a comunidade cristã adotou a sua própria ‘Trindade’ composta pelo Pai, Filho e Espírito Santo, como pessoas distintas um do outro. Absurdo!!! Estão confundindo com a sua natureza TRIPLICE
    POR SER UM SER TRICOTOMISTA.
    NÃO CONFUNDA TRICOTOMIA COM TRINDADE.
    Amados, só há um
    SER CRIADOR QUE É UM אחד ‘ECHAD’.
    Após a queda do pecado, O Eterno, em sua onisciência celestial, usou a palavra ‘bara’, o VERBO DA VIDA. Se fez carne, e, portanto, tomou um ‘corpo especial’, que foi a sua providência na eternidade CORPO ME PREPARASTES. HEBREUS. “Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste.”
    Entrando no mundo, significa que Ele antes estava na esfera celestial, em Seu trono. Mas ao entrar no mundo que jaz no maligno, tomou um corpo sem a contaminação do pecado. ESTE CORPO, FOI GERADO PELO RUACH HÁ KODESH/ESPÍRITO SANTO que lhe é próprio e que é o Seu mover.
    O CORPO=YAHUHSHUA=FILHO
    A ALMA DO ETERNO É A SUA VIDA
    INCRIADA COM MENTE, VONTADE E EMOÇÃO EM CARÁTER ELEVADAS, QUE ELE DEU E DERRAMOU NO CALVÁRIO DO SOFRIMENTO POR NÓS.
    E O ESPÍRITO É O SEU MOVER, SEU SER, SUA CONSCIÊNCIA, COMUNHÃO E SUA DECISÃO INTUITIVA EM UNÇÃO.
    A UNÇÃO PLENA PARA O SERVIÇO DE SEU SACRIFÍCIO QUE REALIZOU ATRAVÉS DO MESSIAS, המשיח
    Onde constituiu como cabeça do corpo de todos os viriam a crer na Sua obra redentora.
    A Igreja do Messias
    הכנסיית המשיח continua...

    ResponderExcluir
  9. Continuação...
    Portanto, é a reunião de todos os chamados para a adoração a YAHUH. המשיח, que quer dizer UNGIDO. QUE APÓS A RESSURREIÇÃO TORNOU-SE O ESPÍRITO QUE DÁ VIDA. ISTO REFLETIU-NOS QUE DESDE A ETERNIDADE, ELE, SENDO O VERBO ETERNO NA CRIAÇÃO DE TODAS AS COISAS, JÁ POSSUIA TAL NATUREZA TRICOTOMISTA. E, EM SUA CONSUMAÇÃO FINAL SE FEZ E TORNOU YAHUH E MASHIYAH. UM SER TRICOTOMISTA DE
    Corpo, Alma e Espírito TOTALMENTE GLORIFICADO.
    SUA APARIÇÃO, APÓS RESSURREIÇÃO, NO CENÁCULO ONDE OS DISCÍPULOS ESTAVAM REUNIDOS É TODA A REVELAÇÃO.
    Agora, quando ilustramos as coisas sobre as quais vamos falar, você entende que estamos aceitando as Escrituras Sagrada como a autoridade final para todas as regras de fé e prática. Quando dizemos, “AS ESCRITURAS” é a autoridade final em todas as matérias de fé e prática”, não estamos confinando-a às regras religiosas. Quero dizer, algumas vezes os irmãos nos acham errados. Quando eu digo que as Escrituras é a autoridade em todos as regras de fé e prática, quero dizer, sem apologia, que eu creio que Ela é capaz de corrigir qualquer doutor, advogado, cirurgião, cientista, físico, religioso ou matemático que já tenha existido. Não colocamos as Escrituras em qualquer terceiro ou quarto lugar onde ela tenha o exato controle sobre uma área limitada. Julgamos os esportes pelas Escrituras. Julgamos a arte pelas Escrituras. Julgamos a música pelas Escrituras. As Escrituras é a autoridade final em todos os assuntos de fé e prática.

    Tudo bem, na 1 Tessalonicenses 5:23-24 (e você pode imaginar que se alguém pode adquirir as Escrituras, ele poderia ter descoberto isto há anos), e, já ter desfrutado das suas riquezas. Nesta passagem Paulo diz: “E o mesmo Eterno/Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, seja, plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Yahuhshua há Mashiyah/Senhor Jesus Cristo.


    Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”.

    Agora olhemos cuidadosamente esta passagem. Se ela não concordar com o que dizem os psiquiatras, então podemos desconsiderar o que eles dizem. Conforme este verso, o homem tem um corpo, uma alma e um espírito. Você vê isto? Os versos dizem que um ser humano tem um corpo, uma alma e um espírito. Isso é correto e não tenho sobre isso a menor dúvida. Então o homem tem uma natureza tríplice. Eu, Carlindo Lelis de Carvalho, hoje, consagrado a Yahuh, me identifico como Lelis Benyahuh, possuo uma natureza tríplice com certeza, mas não sou três pessoas. Continua...
    Continuação...

    ResponderExcluir
  10. Se me verem andando pela rua, saibam que não sou 3 pessoas, mas SOU EU SÓ. O homem é feito de corpo, alma e espírito, mas esta natureza tri-pli-ce do ser humano não lhe dá motivo em dizer que ele é três pessoas. Se isso é verdade, você já verificou em que confusão estamos metidos? O ser humano é ‘Tricotômico-Holístico’ desde a sua criação.
    Vá para diante de um espelho e faça uma reflexão da sua pessoa.
    Você é corpo, alma e espírito. Daí porque as Escrituras diz que o homem foi feito “à imagem e semelhança do seu Criador.” (Gênesis 1:27). Quando o homem foi formado, O ETERNO Elohim o fez “...do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”
    (Gênesis 2:7).
    O homem tem um corpo. O homem tem uma alma. O homem tem um espírito.

    O nosso Pai, Elohim/Deus tem Espírito/UNÇÃO
    –Ruach Kodesh/o Espírito Santo;
    O Pai, Elohim/Deus tem alma/vida;
    O Pai, Elohim/Deus tem corpo/’Corpo me preparastes’. Para habitar em um Corpo de carne, Ele se tornou o Messias. Um Ser Holístico Com Corpo, Alma e Espírito. Revelou-se como Emanuel-Deus conosco, PAI DA ETERNIDADE EM SENDO PAI, FILHO E RUACH HÁ KODESH/ESPÍRITO SANTO.
    O homem foi criado à imagem e semelhança de Elohim e, assim, tem uma natureza tríplice, COM CARÁTER ELEVADO, mas não é três pessoas distintas em uma. Qualquer coisa na terra pode ser dividida em “três partes” antes de ser considerada. Se vocês querem ver a que extensão vai chegar, vejam o tempo, o espaço e a matéria. Quero dizer que a energia é alguma coisa fora da matéria que foi transformada ou abandonada em força. Há exatamente três coisas por aí – tempo, espaço e matéria. Você divide o tempo em passado, presente e futuro – três coisas. Você divide o espaço e obtém comprimento, largura e profundidade – três coisas. Sempre se chega a três em cada exemplo. Existe a atmosfera, a ionosfera e a estratosfera. Fora estas existe a exosfera. De um lado do Atlântico temos a América do Norte, a América Central e a América do Sul. Do outro lado do Atlântico temos a Europa, a África e a Ásia. As pessoas vêm de três estratos –mongoloide, negroide e “caucasóide”. O mesmo acontece com a música, com a arte, com a cor e com tudo o mais. Uma família é formada de homem, mulher e filhos. A Escritura foi escrita em Hebraico e Aramaico, no Velho Testamento e Grego no Novo Testamento. No Velho Testamento nós temos a Lei, os escritos e os profetas. No Novo Testamento temos os evangelhos, os Atos dos Apóstolos e as epístolas. ESTA PALAVRA É O VERBO DA VIDA.
    Então, o homem tem um corpo, alma e espírito. Em Grego, estas palavras seriam continua...

    ResponderExcluir
  11. Continuação...
    Corpo/soma/σώμα,
    Alma/psique/ψυχή
    e Espírito/pneuma/πνεύμα
    em Hebraico elas aparecem como
    corpo / Basar בשר/ גוף
    Alma נשמה
    Espírito רוח
    Este ser humano criado á semelhança do CRIADOR É
    Corpo/Carne/basar, σώμα,
    Alma/psique/ψυχή
    e Ruach/Espírito/
    Consciência/pneuma/πνεύμα
    Você não precisa saber Grego e Hebraico para saber que estas coisas são diferentes. Você tem como saber que elas são diferentes? Elas são pronunciadas de modo diferente. Não são as mesmas em Hebraico, nem no Grego e nem no Inglês. Desse modo, vocês sabem que elas não são as mesmas.

    Vocês sabem que é o seu corpo mas não sabem o que é a sua alma. Aposto que vocês nem sequer sabiam localizar a sua alma se tivessem de fazê-lo. Nem sequer sabem o que é o seu espírito. Não é estranho? Como vocês podem entender que um americano pode vir de seis anos de escola primária, três anos de escola secundária e quatro anos de faculdade sem saber o que ele é? Que desgraça é para um homem crescer e viver nesta terra, morrer e nunca saber o que ele é! Davi diz no Salmo 8:4: “Que é o homem mortal para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites?” Ele queria saber o que o homem é. O homem é corpo, alma e espírito.
    Introdução sobre Espírito, Alma e Corpo
    O conceito corrente da constituição dos seres humanos é dualista: alma e corpo. Segundo este conceito, a alma é a parte interior espiritual invisível, enquanto que o corpo é a parte corporal externa visível. Embora haja algo de certo nisto, contudo, é inexato. Esta opinião vem de homens caídos, não do Eterno Criador/Deus. Além da revelação do Eterno não há nenhum conceito seguro. Que o corpo é a cobertura externa do homem é, sem dúvida alguma, correto, mas as Escrituras jamais confunde o espírito e a alma como se fossem a mesma coisa. Não só (continua)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "HOMENS CAÍDOS", COLOCAÇÃO DESNECESSÁRIA E DE JULGAMENTO, FORA CO CONTEXTO DO ASSUNTO, CRISTO SEMPRE SE REFERIU A DICOTOMIA, ONDE ES=NCONTRAMOS TRICOTOMIA NAS COLOCAÇÕES DO MESMO, QUE ESTEVE PRESENTE NA CRIAÇÃO E CONHECE BEM O PROJETO.

      Excluir
  12. (continuação)...
    são diferentes em condições, mas também suas naturezas diferem uma de outra. A Palavra do Eterno não divide o homem em duas partes de alma e corpo. Pelo contrário, trata o homem como um ser tripartido: espírito, alma e corpo.
    1 Tessalonicenses 5:23,24
    «E o próprio Elohim/Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Yahuhshua há Mashiyah/Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, e ele também o fará..»
    Este versículo mostra claramente que o homem está dividido em três partes, COMO TAMBÉM O CRIADOR QUE NOS FEZ E CRIOU À SUA IMAGEM E SEMELHANÇA, POSSUI AS TRÊS PARTES QUE O TORNA COMPLETO SENDO UM ÚNICO SER. Se o Eterno não possui Alma, então é um objeto inanimado sem vida. Mas Ele possui Alma, portanto, é Vida. O apóstolo Paulo se refere aqui à santificação total dos crentes: «vos santifique completamente». Segundo o apóstolo, como se santifica uma pessoa por completo? Guardando seu espírito, alma e corpo.
    Com isso, é fácil compreender que uma pessoa compreende e se completa em três partes.
    Este versículo também faz uma distinção entre espírito e alma, pois de outro modo Paulo teria dito simplesmente «sua alma». Posto que o Eterno distinguiu o espírito humano da alma humana, concluímos que o homem está composto, não de dois, mas sim de três partes:
    -TRICOTÔMICO-HOLÍSTICO
    espírito, alma e corpo.
    Tem alguma importância a divisão em espírito e alma? É um assunto de primordial importância porque afeta tremendamente a vida espiritual do crente. Como um crente pode compreender a vida espiritual se não conhecer o alcance do mundo espiritual? Sem compreender isto como pode crescer espiritualmente?
    O fracasso em distinguir entre o espírito e a alma é fatal para a maturidade espiritual. Com freqüência os crentes consideram espiritual o que é anímico (ou seja, da alma), e desta maneira permanecem em um estado anímico e não procuram o que é espiritual seriamente. Como poderemos escapar do fracasso se confundirmos o que o Eterno dividiu?
    O conhecimento espiritual é muito importante para a vida espiritual. Acrescentemos, não obstante, que para o crente é de igual importância, ou mais, ser humilde e estar disposto a aceitar o ensino do Ruach há Kodesh/Espírito Santo. Se o for, o Ruach há Kodesh/Espírito Santo lhe concederá a experiência de dividir espírito e alma, embora possivelmente não tenha muito conhecimento sobre esta verdade. Por um lado, o crente mais ignorante, sem o mínimo entendimento da divisão de espírito e alma, pode, entretanto, experimentar esta divisão na vida real. Por outro lado, o crente mais informado, conhecedor por completo da verdade sobre espírito e alma, pode, entretanto, não vivê-la em sua experiência. Muito melhor é o caso da pessoa que pode ter tanto o conhecimento como a experiência. Continua...

    ResponderExcluir
  13. Cntinuação...
    No entanto, a maioria carece desta experiência. Em conseqüência, é bom começar por guiá-los a que conheçam as diferentes funções do espírito e da alma e em seguida animá-los a procurar o que é espiritual.
    Outras partes das Escrituras fazem a mesma diferenciação entre espírito e alma.
    «Porque a palavra do Eterno é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.» (Hb. 4:12). Aqui, o Eterno usa a Sua palavra penetra para dividir de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.» (Hb. 4:12).
    Este é o seu trabalhar em nós, até que nos apresentemos completos e santos.
    Neste versículo, o escritor divide os elementos não corporais do homem em duas partes, «alma e espírito». Aqui se menciona a parte corporal através das juntas e das medulas — órgãos motores e sensoriais. Quando o sacerdote utiliza a faca para cortar e dividir totalmente o sacrifício, não pode ficar nada oculto. Inclusive se separam as juntas e as medulas (tutanos). Da mesma maneira Yahuhshua há Mashiyah/o Senhor Jesus usa a Palavra do Eterno sobre seu povo para separá-lo todo, para penetrar inclusive até a divisão do espiritual, o anímico e o físico. E daqui se deduz que, posto que se pode dividir a alma e o espírito, devem ser diferentes em sua natureza. Assim, é evidente aqui que o homem é um composto de três partes.
    A criação do homem
    «E formou Elohim
    (Hebrew: אֱלֹהִים)
    o Senhor Deus o homem do pó da terra, e
    soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente.» (Gn. 2:7).
    Quando Elohim (Hebrew: אֱלֹהִיםcriou o homem, no princípio o formou com o pó, e em seguida soprou «o fôlego de vida» em seu nariz. Assim que o fôlego de vida, que se converteu no espírito do homem, entrou em contato com o corpo do homem, teve origem a alma. Daí que a alma é a combinação do corpo e do espírito do homem. Por isso as Escrituras chama o homem «uma alma vivente».
    O fôlego de vida se converteu no espírito do homem, quer dizer, o princípio de vida nele. O Yahuhshua/Senhor Jesus nos diz que «é o espírito o que dá vida» (Jo. 6:63). Este fôlego de vida vem de Yahuh/Senhor da Criação. Entretanto, não devemos confundir há ruach/o espírito do homem com RUACH HÁ KODESH/o Espírito Santo do Eterno. Este difere de nosso ruach/espírito humano. Romanos 8:16 explica sua diferença ao afirmar que «HÁ RUACH/O Espírito mesmo testifica com o nosso ruach/espírito que somos filhos do Eterno/Deus». O original da palavra «vida» em «fôlego de vida» é o sopro da vida continua...

    ResponderExcluir
  14. Continuação...
    נשמת חיים
    o sopro da vida nachamat chayym e está no plural. Isto pode referir-se ao fato de que o sopro realizado pelo Eterno produziu uma vida dupla, anímica e espiritual. Quando o fôlego do Eterno Criador entrou no corpo do homem, se converteu no ruach/espírito do homem, mas quando o ruach/espírito reagiu com o corpo, se criou a alma, vida. Isto explica a origem de nossas vidas espiritual e anímica.
    Devemos reconhecer, entretanto, que esse ruach/espírito é a vida sendo dada pelo Eterno, porque «O Espírito do Eterno/Deus me fez, e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida» (Jó 33:4).
    O sopro do Todo-Poderoso que nos deu vida, e o que recebemos no novo nascimento é a própria vida do Eterno/Deus simbolizada pela árvore da vida. Mas nosso ruach/espírito humano, embora exista permanentemente, está vazio de
    «vida eterna».
    «Formou o homem do pó da terra» se refere ao corpo do homem; «soprou em seu nariz o fôlego de vida» se refere ao ruach/espírito do homem ao vir do Eterno/Deus; e «o homem se tornou uma alma vivente» se refere à alma do homem quando o corpo foi avivado pelo ruach/espírito e convertido em um homem vivo e consciente de si mesmo. Um homem completo com o caráter elevado do Seu Criador. (antes de pecar). O caráter do Criador foi no sopro e a partir de então, Adam era segundo a IMAGEM E SEMELHANÇA DO SEU CRIADOR, e, que segundo Gênesis 2:7, o homem foi feito de só dois elementos independentes, o corporal e o espiritual. Mas quando o Eterno/Deus pôs o ruach/espírito dentro da armação de terra se criou a alma. O ruach/espírito do homem, ao entrar em contato com o corpo morto, produziu a alma, vida. O corpo separado do ruach/espírito estava morto, mas com o ruach/espírito, o homem recebeu a vida. O órgão assim vivificado foi chamado alma.
    «O homem passou a ser uma alma vivente» expressa onde o ruach/espírito e o corpo foram totalmente fundidos nesta alma. Em outras palavras, a alma e o corpo se combinaram com o ruach/espírito, e o ruach/espírito e o corpo se fundiram na alma.
    A finalidade da criação era para encher a terra de uma espécie humana que o expressassem
    a Sua Imagem e Semelhança.
    «Adão, antes da queda, não sabia nada desta incessante luta do ruach/espírito e da carne, que são já algo cotidiano para nós. Havia uma perfeita complementação dos elementos de sua natureza tríplice em uma, e, a alma, como meio unificador, converteu-se na causa de sua individualidade, de sua existência como ser distinto, um indivíduo, uma pessoa».
    Uma pessoa, um indivíduo, um ser vivo.
    Um ser Tricotômico-Holístico.
    O homem foi desenhado como alma vivente porque era ali onde o ruach/espírito e o corpo se encontraram e é através dela que se conhece sua individualidade. Continua...

    ResponderExcluir
  15. Continuação...
    Possivelmente poderíamos usar uma ilustração imperfeita: joguem umas gotas de tintura em um copo de água. A tintura e a água se combinarão produzindo uma terceira substância chamada tinta. De igual maneira os dois elementos independentes do ruach/espírito e o corpo se combinam para converter-se em uma alma humana e não em três pessoas distintas.
    O Eterno/Deus considerou a alma humana como algo único.
    o homem foi criado de maneira predominante como alma humana vivente. O homem não só tinha um corpo, um corpo com o fôlego de vida; também se converteu em uma alma vivente. Por isso veremos mais adiante nas Escrituras, que o Eterno freqüentemente se refere aos homens como «almas». Por que? Porque o que o homem é depende de como é sua alma. Sua alma o representa e expressa sua individualidade como uma pessoa humana. É o órgão da livre vontade do homem, o órgão no qual o ruach/espírito e o corpo estão totalmente fundidos. Se a alma do homem quer obedecer ao Eterno/Deus, permitirá que o ruach/espírito governe o homem conforme o ordenado pelo Criador. A alma, se o decidir, também pode reprimir o ruach/espírito e tomar algum prazer como para si próprio no homem.
    As respectivas funções do ruach/espírito, da alma e do corpo.
    É por meio do corpo que o homem entra em contato com o mundo material. Daí podemos qualificar o corpo como a parte que nos faz conscientes do mundo. A alma é formada pelo intelecto, ‘Mente’ que nos ajuda no presente estado de existência, e as ‘emoções’, que procedem dos sentidos. Posto que a alma pertence ao próprio eu do homem e revela sua personalidade, é chamada a parte que tem auto consciência de si mesmo. Há ruach/O espírito é a parte mediante a qual nos comunicamos com o Eterno/Deus, e só por ele podemos perceber e adorá-Lo. Como nos fala de nossa relação com o Eterno, o ruach/espírito é chamado o elemento que nos faz ter consciência do Eterno/Deus. O Eterno sendo um RUACH KODESH, vive no nosso ruach/espírito, somos recipientes, para conter o ALTÍSSIMO, o eu vive na alma, enquanto que os sentidos vivem no corpo.
    Como já mencionamos, a alma é o ponto de encontro do ruach/espírito e do corpo, porque ali estão os dois fundidos. Mediante o ruach/espírito, o homem mantém relação com o mundo espiritual e com o há Ruach de Elohim/Espírito de Deus, recebendo e expressando ambos o poder e a vida do mundo espiritual. O homem está em contato com o mundo externo sensorial através de seu corpo, influenciando-o e recebendo suas influências. A alma se encontra entre estes dois mundos, embora pertença a ambos. Está ligada ao mundo espiritual através do ruach/espírito, e ao mundo material através do corpo. Também possui o poder da livre ‘vontade’ e por isso pode escolher. O ruach/espírito não pode atuar diretamente sobre o corpo. Necessita um meio, e esse meio é a alma criada pelo contato do espírito com o corpo. A alma é quem faz a sua escolha de decisões. É na alma que temos mente, vontade e emoção. Assim, a alma se encontra entre o ruach/espírito e o corpo, mantendo-os unidos. O ruach/espírito pode submeter o corpo através da alma para que obedeça ao Eterno/Deus. Da continua...

    ResponderExcluir
  16. Continuação...
    mesma maneira o corpo, mediante a alma, pode atrair o ruach/espírito a amar ao mundo.
    Destes três elementos o ruach/espírito é o mais nobre porque está unido ao Eterno/Deus. O corpo é o mais humilde porque está em contato com a matéria. A alma, ao estar entre eles, une-os e também toma o caráter de ambos e o faz dele. A alma torna possível que o espírito e o corpo se comuniquem e colaborem. O trabalho da alma é manter esses dois em seu lugar adequado, para que não percam sua correta relação: quer dizer, que o mais humilde, o corpo, possa estar sujeito ao ruach/espírito, e que o mais elevado, o ruach/espírito, possa governar o corpo por meio da alma, em mente, vontade e emoção. O fator fundamental do homem é, sem dúvida alguma, a alma. Por isso, devemos sempre colocar a nossa mente no ruach/espírito, para não pender para a carne. É dependente de que o ruach/espírito lhe dê o que recebeu Ruach háKodesh/do Espírito Santo e, assim, depois de ter sido aperfeiçoada, poder transmitir ao corpo o que recebeu. Então o corpo também pode compartilhar a perfeição Ruach há Kodesh/do Espírito Santo e converter-se assim em um corpo espiritual, vivendo sem o contato com o pecado, tendo um viver separado, santo.
    O ruach/espírito é a parte mais nobre do homem e ocupa a área mais profunda de seu ser. O corpo é a mais humilde e toma o lugar mais exterior. Entre os dois vive a alma, servindo como seu meio. O corpo é a coberta externa da alma, enquanto que a alma é o pacote externo do espírito. O espírito transmite seu pensamento à alma e a alma utiliza o corpo para obedecer à ordem do espírito.
    Este é o significado da alma como mediadora. Antes da queda do homem, o ruach/espírito controlava todo o ser por meio da alma. E então, o homem tinha comunhão direta com o seu Criador.
    O poder da alma é o mais importante, posto que o ruach/espírito e o corpo estão fundidos ali e a têm como sede da personalidade, caráter e influência do homem nele próprio. Antes de que o homem pecasse, o poder da alma estava completamente sob o domínio do ruach/espírito. Em conseqüência, sua força era a força do ruach/espírito. O ruach/espírito não pode atuar sobre o corpo por si mesmo, só fazê-lo através e por intermédio da alma, com a permissão absoluta da ‘mente’.
    a alma é a sede da personalidade. A vontade, intelecto/mente e emoções do homem estão ali. Enquanto que o ruach/espírito é usado para comunicar com o mundo espiritual e o corpo com o natural, a alma se mantém entre ambos e utiliza seu poder para discernir e decidir se deve predominar o mundo espiritual ou o natural.
    Verdadeiramente, a alma é o eixo de todo o ser, porque a vontade do homem lhe pertence. Somente quando a alma está disposta a assumir uma posição humilde, pode o ruach/espírito dirigir todo o homem. Se a alma se nega a tomar esta posição, o ruach/espírito dentro do homem ficará impotente. Isto explica o significado do livre arbítrio do homem. O homem não é um autômato que se move segundo Eterno/Deus queira. Ele não obriga a ninguém a obedecê-Lo. Ao contrário, o homem possui um total poder soberano para decidir por si mesmo. Possui
    Continua...

    ResponderExcluir
  17. Continuação...
    o órgão de sua própria capacidade volitiva e pode escolher seguir a vontade do Eterno/Deus ou opor-se a Ele e seguir a vontade de Satanás. O Eterno/Deus deseja que o ruach/espírito, sendo a parte mais nobre do homem, controle todo o ser. Entretanto, a vontade, a parte de sua individualidade pertence à alma. É a vontade que determina se deve governar o ruach/espírito, o corpo ou inclusive ela mesma. Em vista do fato de que a alma possui semelhante poder e que é o órgão da individualidade do homem, as Escrituras chama o homem «alma vivente».
    O templo santo e o homem.
    O apóstolo Paulo escreve:
    «Não sabeis vós que sois santuário do Eterno/Deus, e que Ruach háElohim/o Espírito de Deus habita em vós?
    Somos separados, porque fomos medidos. Por isso, o nosso espírito, alma e corpo ou seja, o meu ser por inteiro, O aguarda para redenção final e última, a do meu e de nossos corpos.
    e-mails: carlindo.escritorartistaplastico@yahoo.com.br
    yahuhshua_benyahuh999@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  18. Continuação...
    mesma maneira o corpo, mediante a alma, pode atrair o ruach/espírito a amar ao mundo.
    Destes três elementos o ruach/espírito é o mais nobre porque está unido ao Eterno/Deus. O corpo é o mais humilde porque está em contato com a matéria. A alma, ao estar entre eles, une-os e também toma o caráter de ambos e o faz dele. A alma torna possível que o espírito e o corpo se comuniquem e colaborem. O trabalho da alma é manter esses dois em seu lugar adequado, para que não percam sua correta relação: quer dizer, que o mais humilde, o corpo, possa estar sujeito ao ruach/espírito, e que o mais elevado, o ruach/espírito, possa governar o corpo por meio da alma, em mente, vontade e emoção. O fator fundamental do homem é, sem dúvida alguma, a alma. Por isso, devemos sempre colocar a nossa mente no ruach/espírito, para não pender para a carne. É dependente de que o ruach/espírito lhe dê o que recebeu Ruach háKodesh/do Espírito Santo e, assim, depois de ter sido aperfeiçoada, poder transmitir ao corpo o que recebeu. Então o corpo também pode compartilhar a perfeição Ruach há Kodesh/do Espírito Santo e converter-se assim em um corpo espiritual, vivendo sem o contato com o pecado, tendo um viver separado, santo.
    O ruach/espírito é a parte mais nobre do homem e ocupa a área mais profunda de seu ser. O corpo é a mais humilde e toma o lugar mais exterior. Entre os dois vive a alma, servindo como seu meio. O corpo é a coberta externa da alma, enquanto que a alma é o pacote externo do espírito. O espírito transmite seu pensamento à alma e a alma utiliza o corpo para obedecer à ordem do espírito.
    Este é o significado da alma como mediadora. Antes da queda do homem, o ruach/espírito controlava todo o ser por meio da alma. E então, o homem tinha comunhão direta com o seu Criador.
    O poder da alma é o mais importante, posto que o ruach/espírito e o corpo estão fundidos ali e a têm como sede da personalidade, caráter e influência do homem nele próprio. Antes de que o homem pecasse, o poder da alma estava completamente sob o domínio do ruach/espírito. Em conseqüência, sua força era a força do ruach/espírito. O ruach/espírito não pode atuar sobre o corpo por si mesmo, só fazê-lo através e por intermédio da alma, com a permissão absoluta da ‘mente’.
    a alma é a sede da personalidade. A vontade, intelecto/mente e emoções do homem estão ali. Enquanto que o ruach/espírito é usado para comunicar com o mundo espiritual e o corpo com o natural, a alma se mantém entre ambos e utiliza seu poder para discernir e decidir se deve predominar o mundo espiritual ou o natural.
    Verdadeiramente, a alma é o eixo de todo o ser, porque a vontade do homem lhe pertence. Somente quando a alma está disposta a assumir uma posição humilde, pode o ruach/espírito dirigir todo o homem. Se a alma se nega a tomar esta posição, o ruach/espírito dentro do homem ficará impotente. Isto explica o significado do livre arbítrio do homem. O homem não é um autômato que se move segundo Eterno/Deus queira. Ele não obriga a ninguém a obedecê-Lo. Ao contrário, o homem possui um total poder soberano para decidir por si mesmo. Possui
    Continua...

    ResponderExcluir
  19. Continuação...
    Possivelmente poderíamos usar uma ilustração imperfeita: joguem umas gotas de tintura em um copo de água. A tintura e a água se combinarão produzindo uma terceira substância chamada tinta. De igual maneira os dois elementos independentes do ruach/espírito e o corpo se combinam para converter-se em uma alma humana e não em três pessoas distintas.
    O Eterno/Deus considerou a alma humana como algo único.
    o homem foi criado de maneira predominante como alma humana vivente. O homem não só tinha um corpo, um corpo com o fôlego de vida; também se converteu em uma alma vivente. Por isso veremos mais adiante nas Escrituras, que o Eterno freqüentemente se refere aos homens como «almas». Por que? Porque o que o homem é depende de como é sua alma. Sua alma o representa e expressa sua individualidade como uma pessoa humana. É o órgão da livre vontade do homem, o órgão no qual o ruach/espírito e o corpo estão totalmente fundidos. Se a alma do homem quer obedecer ao Eterno/Deus, permitirá que o ruach/espírito governe o homem conforme o ordenado pelo Criador. A alma, se o decidir, também pode reprimir o ruach/espírito e tomar algum prazer como para si próprio no homem.
    As respectivas funções do ruach/espírito, da alma e do corpo.
    É por meio do corpo que o homem entra em contato com o mundo material. Daí podemos qualificar o corpo como a parte que nos faz conscientes do mundo. A alma é formada pelo intelecto, ‘Mente’ que nos ajuda no presente estado de existência, e as ‘emoções’, que procedem dos sentidos. Posto que a alma pertence ao próprio eu do homem e revela sua personalidade, é chamada a parte que tem auto consciência de si mesmo. Há ruach/O espírito é a parte mediante a qual nos comunicamos com o Eterno/Deus, e só por ele podemos perceber e adorá-Lo. Como nos fala de nossa relação com o Eterno, o ruach/espírito é chamado o elemento que nos faz ter consciência do Eterno/Deus. O Eterno sendo um RUACH KODESH, vive no nosso ruach/espírito, somos recipientes, para conter o ALTÍSSIMO, o eu vive na alma, enquanto que os sentidos vivem no corpo.
    Como já mencionamos, a alma é o ponto de encontro do ruach/espírito e do corpo, porque ali estão os dois fundidos. Mediante o ruach/espírito, o homem mantém relação com o mundo espiritual e com o há Ruach de Elohim/Espírito de Deus, recebendo e expressando ambos o poder e a vida do mundo espiritual. O homem está em contato com o mundo externo sensorial através de seu corpo, influenciando-o e recebendo suas influências. A alma se encontra entre estes dois mundos, embora pertença a ambos. Está ligada ao mundo espiritual através do ruach/espírito, e ao mundo material através do corpo. Também possui o poder da livre ‘vontade’ e por isso pode escolher. O ruach/espírito não pode atuar diretamente sobre o corpo. Necessita um meio, e esse meio é a alma criada pelo contato do espírito com o corpo. A alma é quem faz a sua escolha de decisões. É na alma que temos mente, vontade e emoção. Assim, a alma se encontra entre o ruach/espírito e o corpo, mantendo-os unidos. O ruach/espírito pode submeter o corpo através da alma para que obedeça ao Eterno/Deus. Da continua...

    ResponderExcluir
  20. Respostas
    1. Olá Carlindo. Respeito seu direito à opinião e à livre consciência para a escolha de uma religião, mas, cara, que confusão! Sua antropologia não é apenas platônica - é gnóstica. E, infelizmente, você é adepto de outra heresia muito antiga, chamada "modalismo". Em outras palavras, você não é cristão, mas você sabe disso, não é? Oro para que se torne um cristão e abandone o erro, brother. Abraços!

      Excluir
  21. Olá Paulo, tudo bem?
    Olha, li o artigo, contudo, ainda assim não me convenci de que somos seres dicotômicos, mas, não há também certeza em mim da tricotomia. Para ser sincero achei os argumentos que usou um tanto superficiais.
    Quando leio Gênesis 2:7, só me vem à mente a ideia de corpo (matéria), alma (parte pensante - animus e anima, do latim). A alma como sede dos pensamentos, emoções e sentimentos. Já o espírito, embora reconheça a sinonímia de alma e espírito, me parece mais uma definição da parte imaterial humana, algo como Eclesiastes 12:7.
    Não tenho a intenção de refutar o artigo, mas, de passar a saber mais do assunto.
    Se puder, explane mais sobre o assunto, com um pouco mais antítese das linhas propostas de pensamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wesley, tudo bem comigo. E com você?

      Entendi o que você quis dizer: não foi convencido pelo texto mas também não está convicto do contrário. Quer saber? Não tem problema! Essa não é uma questão central na teologia. Mas preciso discordar de que meus argumentos foram superficiais. Tente imaginar o contrário: junte as evidências bíblicas que dão suporte a uma concepção tricotômica da natureza humana e veja se elas sustentam a si mesmas. Os principais textos recrutados por tricotomistas para defender sua antropologia são desconstruídos quase que por inércia. Em oposição, uma visão mais abrangente das Escrituras aponta para o uso de "alma" e "espírito" como sinônimos de "parte imaterial do homem", da mesma forma que "coração" ou "mente", como você mesmo pareceu reconhecer.

      E captei a legitimidade do seu comentário, que foi bastante educado. Eu não tenho problema algum com discordâncias expressas nesse nível. E em tempo oportuno tentarei postar algum estudo maior sobre o tema, numa abordagem mais antitética.

      Prazer falar com você, Wesley!

      Excluir
    2. O prazer foi meu. Esperarei por mais sobre o tema.
      Andei lendo em alguns outros sites, inclusive encontrei quem discorde da dicotomia e da tricotomia ao mesmo tempo..rsrs
      Fica assim então, um abraço fraternal!

      Excluir
  22. Graça e paz Paulo gostei do artigo, é muito esclarecedor mesmo !!!
    Precisamos nos despojar da ótica doutrinária dos seminários teológicos que transmitem doutrinas algumas vezes oriundas do catolicismo e outras do sincretismo religioso. Deus sempre tem novas revelações para seus filhos, desde que estes não
    mantenham suas mentes engessadas pelo sistema religioso que coloca fardos pesados e aprisiona os membros de suas instituições cativos ou escravos daqueles ensinamentos sendo que o Rei veio para nos libertar da religião visto que ele mesmo tinha e nem deixou nenhuma para ser seguida, deixou a si mesmo para ser seguido através da lei da graça que é o novo pacto ou novo concerto.
    Tenho meditado a respeito do conteúdo do seu artigo e minha humilde opinião é a seguinte: toda pessoa que um dia confessou Jesus Cristo como salvador passa a receber a influência do Deus Pai e do Deus Filho conforme o mestre disse que Ele e o Pai viria e habitaria em nós, isso é o que o sistema chama de Espírito Santo de Deus, pois discordo da idéia de que o E.S. seja uma pessoa pois o apóstolo Paulo inicia todas as suas epístolas mencionando duas pessoas distintas dando-nos a entender que a palavra Deus refere-se ao Deus o Pai (todo poderoso e criador) e ele coloca Jesus como sendo o nosso Senhor e Deus filho que está à direita do Pai que o ressuscitou dentre os mortos, afinal como alguém pode assentar-se a direita de si mesmo? mas esse é um outro assunto para outra oportunidade. Voltando ao tema do seu artigo, quando nos deparamos com os textos onde é mencionado que João Batista veio no espírito de Elias e outro em que Paulo disse que não poderia estar presente com os irmãos mas o seu espírito estava lá, fica claro que se analisarmos o contexto cada vez que aparece a palavra espírito tanto no A.T. como no
    N.T. podemos até concluir que esse espírito está relacionado com um conjunto sendo composto de: (palavras, pensamentos, atos e intenções do coração) pois é uma contradição alguém ensinar que existe dentro de cada ser humano uma entidade denominada espírito e logo em seguida dizer aos que seguem o espiritismo que a reencarnação não existe e que é condenado e abominável pela palavra de Deus a invocação daqueles que já se foram. Acredito que no grande dia cada indivíduo terá que prestar contas sobre o modo de viver ou seja o comportamento que teve durante sua existência aqui nesta terra. Quando alguém diz: Fulano de Tal tem um espírito empreendedor, fica claro que não é um encosto de alguém que foi empreendedor que está naquela pessoa mas o seu modo de agir, falar, pensar enfim de se comportar é que definem isso, sendo assim, a dicotomina vai de encontro ao entendimento
    de que toda pessoa sem a aceitação do Senhor Jesus, vive sob a influência dos espíritos malignos que são aqueles anjos que caíram junto com o próprio diabo ou satanás, e toda pessoa que aceitou o senhorio de Jesus Cristo em sua vida, passa a receber a influência da pessoa do Deus Pai e do Deus filho em sua vida passando a se comportar de uma maneira diferente de outrora quando estava longe de Deus portanto sem salvação. Logo, essa nova conduta ou novo nascimento que se dá através da leitura da sagrada escritura e a prática da lei da graça, é o que o sistema chama de santidade ficando claro epírito não é entidade e sim comportamento, modo de agir, pensar, falar, tratar os que estão ao nosso redor como o Senhor Jesus tratou, pois a lei dizia que o indivíduo deveria amar o seu
    próximo como a si mesmo, e o mestre veio e disse: ...Amai uns aos outros como eu vos amei... que Deus nos abençoe em nome de Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, obrigado por sua visita!

      Que bom que você se interessou pelo site e por este artigo.

      Discordo de você em relação às suas considerações sobre a Trindade e sobre o espiritismo, mas seu direito à opinar é respeitado.

      Enorme abraço!

      Excluir

Curta no Facebook

Receba artigos em seu email